quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Silêncio

No meu silêncio encontro-me com o meu Deus…
Me arrepia pensar como seriam os brados de Deus no meu silêncio. 
Os gritos meus nos ouvidos de Deus. 
Os delírios meus sem Deus!
Me arrepia em pensar como seria a minha existência sem um criador. 
O meu cerne sem Deus, seria feito um barco à deriva, sem remos, com a ausência total de velas e ventos permaneceria perdido sem rumos, seria assim! 
Sem Deus. 
Amandio