terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Me perdi

Quando fingi ser eu, perdi você,
Quando vi você me perdi...
Lamento não ser e nem ter o que nunca tive.
Porque de agora em diante o doce ficou amargo e o amargor queima a minha alma.
Queima os meus sonhos! 
Paralisa o meu ser!
Não sei mas qual a chave que abre as portas para liberar o que estava cativo... 
Esqueci o botão de ignição para ascender as luzes e me tirar da inércia da solidão...