quarta-feira, 14 de maio de 2014

Sou criança

Ainda continuo o menino de antes, com algumas modificações.
Mas continuo sendo a mesma o criança que sonha;
Que gosta e anseia amar a dita vida...
Porquanto procuro não duvidar das pessoas de outroras...
Mas saturado encontro-me!
Deus!
Permita-me gritar, deixe o meu brado ecoar!
Pois não preciso ser sufocado por protestar!
Ainda preciso dos meus sonhos ao meu lado...
Preciso que acreditem que vale a pena sonhar;
Que vale a pena acreditar;
acreditar no céu mais vivo, acreditar nas plantas que sofrem sozinhas num vaso qualquer mendigando míseras gotas de água para o amarelo triste ficarem mais verdes. acreditar nas flores murchas que anseiam a belezura  mais, crer no riso amarelado de uma criança que ainda inocente, mas carente e com fome.
Está criança é  sedenta de pequenas gotas do saber, entretanto, ainda com fome e sede de amor...
São incontáveis as crianças que vivem ao relento sem esperança de saber que existe um céu imenso e o mundo para descobrir...
Crianças que desde cedo aprendem a não confiar, por causa disso elas vivem tristes por não ter a essa possibilidade, pois o próprio sonho acaba de ser sufocado pela ignorância de muitos egoístas engravatados...
Este é o caos de uma política caótica e falida.
As pessoas não são más portanto elas ainda não sabem que podem ser mais humanas reciprocamente...
Amandio Sales