segunda-feira, 14 de abril de 2014

Meu templo

Observa aqueles olhinhos:E o que você ver?Um ancião sentado em uma velha cadeira com um olhar distante...Vejo sentimentos naqueles olhinhos e tenho certeza que nalgum momento ele vai esquecer...Não sei se sou sentimental!Mas sou assim! Queira ou não queira!Guardarei dentro de mim o que é bom...E as mazelas da vida?Aquelas queixas, magoas, estes sentimentos não quero mais...Então deixarei no templo do esquecimento...Não quero contemplar os infortúnios que a vida me trouxe...Contemplarei nesse templo que eu mesmo construí! Alegrias que a vida me presenteia, as amizades sinceras que me conquistaram. Porque o meu templo, meu bendito templo sou eu...