quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Pequenas lembranças


Sabe aqueles momentos em que você se encontra um pouco distante de tudo com a cabeça aluada cheia de fazes?
Parece que o tempo não passa e você tenta imaginar próximo deles 
E pensando não sai do canto, porque o tempo parece ser distante... 
Igual a um tenor soltando a sua voz tenra e angustiante, 
E a sua plateia, uma pessoa em especial num canto...
Este seria o seu pai ou a sua mãe, emocionados em prantos.
Quando pensava em Deus.
Recordava dos seus pais e por fim notava-se em prantos.
Isso só advém quando se esta á anos distante...
Essa distancia cruel que o aflige,
Qual à voz do tenor angustiado por se sentir solitário, 
No meio de multidões de aplausos transformando-se em um cara nostálgico. 
Por recordar-se de seus pais...
Inclusive de uns dias pra cá ele estar a lembrar deles, 
E o interessante é encontrar-se dentro de  uma das maiores experiências de sua existência no apogeu do seu canto....
Se saudades tivesse outro nome;
Chamaria de família.


O seu comentário é muito importante para mim. Obrigado por sua visita! Volte sempre!