quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Queria eu

Queria eu, não ter passado por essa calçada!
Queria eu, ter ido pelo outro lado da praça.
Não ter ligado o computador,
Assim viveria sem amor,
Permaneço inerte, perdido e confuso 
Cá estou.
Assombro-me com os teus gritos
Teus melindres de fato és fria
Desconfiada e maledicente
Portanto gosto de ti
Mas não sou paciente
Conquistar-te é conviver sempre ao teu lado,
não é fácil!
Por muitas vezes anseio em desistir de tudo.
Quero abandonar e largar esse compromisso onde
só você tem razão em meio a palavrões no final.
És criança sem razão...
Amandio Sales