quarta-feira, 3 de julho de 2013

Azedume

Com o passar do tempo entendi o meu eu? 
Mas, para onde vou, nunca descobrirei! 
Entretanto, de passagem estou! 
Sou poeta e trovador, 
Habitei na  caatinga onde a chuva é preciosa, 
Mas não tenho catinga!
Já vivi no sertão, 
Comendo arroz e feijão, 
Venho de uma terra simples com pessoas alegres e humildes...
Mas por vezes já me deparei com pessoas azedas feito limão. 
Já tenho o recurso para esse azedume!
Só dosar um tiquinho de açúcar; 
E doce o limão ficar...