segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Utopia

Tenho certeza do que sou quando posso,
Quando posso fazer algo em pró, e deixo de fazer por mim!
Quando tenho palavras amargas engasgadas na garganta e não as exponho.
Tenho medo de agir na hora errada, mas será que devo agir agora?
Medo de ver crianças nas calçadas pedindo um trocado,
Deixa-me doar um prato de feijão ao invés de trocados,
Deixa-me plantar uma muda ao invés de derrubá-las,
Vamos ser visionários de um mundo sem dor,
Vamos mudar o planeta deixando-o mais verde.
Vamos despoluir pensamentos, rios, nossas florestas.
Hoje vi de novo araras voando, João de barro cantando.
Vi pássaros livres...