domingo, 21 de agosto de 2011

Desabafando

Tenho medo dos meus castelos, das minhas batalhas, dos meus passos, vejo-me pequeno em meio a tanta insatisfação, doravante eu precise de uma dose de fé!
Embora eu já a tenha guardado em algum lugar...
Sinto-me inútil, assim, sem saber, porque viria a mim a fé em momentos de alegrias ou nas aflições, ela viria não sei ao certo, queria encontrar aquela ponte mágica que alguns meses atrás pulei!
Queira eu ter um carro veloz ou uma moto e numa pista deserta explodir toda a minha adrenalina!  Como se fosse o meu ultimo dia. Queria encontrar a paz na sabedoria de uma criança ou o amor na solidariedade de quem ajuda?
Sei que quero viver um dia de louco, um dia para não ligar para a vida, não sei o que me compraz ainda...
Não quero mais ser aquele brinquedo que é usado e depois perde a graça e é esquecido ou trocado por outro, vejo-me cheio de anseios! Entretanto sou ultrapassado...
Sinto-me assim sem valor...
escondido dos teus olhos, sofro!
Nunca imaginei que uma dose de amor fosse assim tão sofrido. Difícil é de se lidar! As pessoas escondem um castelo dentro de si!
Permanecendo oculto o tesouro, aqueles castelos que protege-nos feito uma fortaleza, onde a desconfiança some, onde o nada é oculto e a mentira é dissipada... Quero ver a sinceridade nos olhos das pessoas!
Quero resgatar aquele brilho, aquela doçura...
Queria ir até aquela ponte e fazer um novo salto ou preferia não saltar.
Amandio Sales.