domingo, 5 de junho de 2011

Rosas brancas







Por caminhos turvados caminhei,
pisei em espinhos na estrada da vida,
pés nús correndo sob rosas, 
rosas brancas tingidas de sangue...
A caminhada é longa, 
e as pétalas são muitas,
as passadas são curtas.
Pessoas caminham comigo,
são estranhas e conhecidas.
Que dera Deus!
eu ter asas?
neste mundo de pássaros feridos...
Mas, a caminhada é minha, 
são passos meus sob rosas brancas 
manchadas de sangue,
seria tolice minha pedir asas
neste mundo onde o homem aprendeu a voar,
mas a sua caminhada é unitária!
São as marcas de seus passos 
levantando as pétalas e espinhos
cravados nos pés...