quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Quando dormia.


Lancei mão de todos os meus sonhos em busca de outros distantes e além do meu tempo...
Mas tudo passou de uma ilusão efêmera...
Foi o tempo que desfrutei dos deleites das minhas utopias insanas, foi naquela ocasião que arquivei todas as minha quimeras e quase nada sobrou de mim, só apenas uma lágrima.
Ousei me limpar de tudo e todos, porquanto me matei de dentro para fora e sobrou algo de mim...
Uma lágrima que escorria da minha face até desintegrar-se ao cair no chão..
Foi a derradeira gota de mim absorvida pelo solo frio e triste!
São os meus olhos úmidos e sombrios a despertar de um longo sono.
Amandio.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Tristeza é sentir frio

Sentir tristeza é igual a morrer de frio,
Trememos por dentro, sentimos calafrios que rolam dentro alma que extende para fora a tal da angustia, sentir frio é estar sozinho!
É a ausência da coberta que aquece.
Sentir tristeza é igual a morrer de fome e cede!
Extingui o alimento da vontade.
Seca-se a vontade de viver...
É assim quando sozinhos ficamos, perde-se a vontade de comer e de beber...
perde-se o interesse por si.
O amor próprio morre sem ao menos conhece a tal dignidade...
Perde-se a vontade de viver.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Ciranda

Ciranda
Quando pensei que já tinha visto de tudo, daí o tudo me surpreende...
A vida é uma gincana,
A vida é surpreendente e espantosa!
A vida é uma ciranda onde dançamos de mãos dadas,
um laço atado, donde giramos e brincamos desafiando os nossos limites.
expondo-nos ao imprevisível e o imprevisível transformando-se no pressentível...
A vida é uma gincana e dançamos nessa ciranda.